terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Aniversário relicário

Aniversário relicário De piegas Amizade O que te vale é vaidade Sou um colibri Sou um canário Vou dormir contigo Vou estar comigo Me usa e abusa Pois tenho dono Sou o poeta Sou meu castigo Me chama de cazuza Um poeta amei Esses que dizem do dia que errei Pode ser, você me usa Cospe mais Eu amo mais Deixe-me ir Para esse blefe eu rir Se eu fico Canto uma poesia de Chico De um lado de quero Do outro imagino em ter Aquele louco amor: Perverso Incerto Lindo e falso Quando ficar velho serei um fausto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário