terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Meu amigo tempo

Encontro nostálgico do bom e velho tempo, amigo fiel da lembrança escudeiro da esperança dança o tempo no seu balet mais lindo. Sublime tempo me dê o poder de pará-lo E o meu tempo passante recuperá-lo E o tempo restante abusar de ti minha vida jovial e boemia De sê-la ousada e fazer girar o mundo Com esse meu vicio de amar e desejar ser dois Ou mil em minha única existência Seja tu hô tempo a em ser o meu destino e usufruir da liberdade E ser tu meu amigo aquela criança Assim escrevo jovem poeta eu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário