sexta-feira, 26 de outubro de 2012

artista faminto


O artista da fome alimenta o seu desejo
Com intelecto, paixão e ação
Usa o ar para imitar
E a palavra para orar
Olha o artista da fome
No seu castelo de cristal
Ele devora o vício
Insaciável pelo o que é escuro
Artista capataz
Segue a arte sem olhar para trás
Fica a mercê do picadeiro
Seu instante Rei
Ser percebido, compreendido
A sua arte acontece
Mas se você meu amigo
Já deu o veredicto
Saiba que este artista é convicto
Um fio só
Nessa teia improvisada
Só aparece cilada
Mas o artista se mantém
Eterno refém
Iiiiiiiiii
O artista da fome está chegando
Espere um pouco para o espetáculo
Ele é puro desejo
Certeiro, reto, no peito
Certeiro, reto, no peito

Nenhum comentário:

Postar um comentário